Pré-lançamento do novo trabalho do primeiro guitarrista da Legião Urbana

Pré-lançamento do novo trabalho do primeiro guitarrista da Legião Urbana

Era o início da década de 80, ele tinha 16 anos e morava em Brasília. Foi ainda com o nome Eduardo Paraná, que o jovem Kadu Lambach recebeu o convite de Renato Russo para integrar uma banda. Ninguém imaginava que a tal banda se transformaria na maior de todas, no Rock Brasileiro, Legião Urbana.  Trinta anos depois, Paraná, já conhecido como Kadu Lambach, resgata a parte que lhe cabe nesta história, e se prepara para lançar o CD “Kadu Lambach - O Legionário do Som”, cujo repertório conta  com alguns clássicos do rock nacional - como “Que País é Este”, “Geração Coca-Cola”, “Eduardo e Mônica”, “Eu Sei” e “Tempo Perdido” -, e duas inéditas, todas em versões calcadas em violões e guitarra.

No próximo dia 24 de maio, no palco do John Bull Pub, Lambach faz uma prévia do disco em um show regado de músicas da banda brasiliense.  Para o show, Lambach terá ao seu lado Sandro Guaraná (baixo), Murilo Lunardon (bateria) e Roger Knupp (teclados), alem da participação especial de Marielle Loyola.

“Sou fundador da Legião Urbana e tenho muitas histórias e ganchos, não só por ter convivido com o Renato, mas também por ter participado e vivenciado muita coisa na música. Nos últimos 30 anos, produzi, gravei, coordenei projetos, dirigi, acompanhei cantores e grandes instrumentistas. Sou, antes de tudo, um músico brasileiro e tenho muito orgulho disso”, diz ele, que planeja terminar seu novo disco ainda neste semestre.
Lambach mantém relação estreita com os herdeiros de Renato Russo, a família Manfredini e conta com a autorização para utilizar a marca Legião Urbana. O cd esta sendo gravado em Curitiba, com músicos locais e terá 10 músicas de autoria do Renato - além dos clássicos já citados, “Por Enquanto”, “Conexão Amazônica”, “Monte Castelo”, “Musica Urbana II”, “Índios” -, além de duas parcerias ainda inéditas, “Medieval” e “Dois Corações” (musica de Lambach e letra do Renato)

A origem do disco, o terceiro a ser gravado por Lambach, foi um show que ele fez em março passado, no Canal da Música, em Curitiba, e que contou com a presença da família Manfredini. “Eles me deram todo o apoio e desde então venho trabalhando neste projeto com mais afinco”, diz.

Há seis anos ele voltou a morar em Curitiba e, ao longo desse período, seguiu tocando e gravando, até que, ano passado foi convidado por Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo, a ajuda-lo a divulgar a obra da Legião e de Russo.  “Aceitei de pronto, pois depois de 30 anos já me sinto apto a fazer uma leitura digna da obra da minha primeira banda. A missão é imprimir meus arranjos nas músicas da Legião”, conta sobre o convite.
Há dois meses, foi a vez do empresário do herdeiro de Renato Russo procurar Lambach, agora com o convite para evento que acontecerá no Estádio Mané Garrincha, ao lado de atrações nacionais e internacionais. “Devo fazer um número com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília”, explica, sobre o show Renato Russo Sinfônico, que acontece no dia 29 de junho.

História

“Eu tinha 16 anos quando Renato Russo me convidou para montar uma banda com ele. Eu já o conhecia e admirava. Mas, embora eu curtisse the Clash, Sex Pistols, não fazia parte da galera punk e meus ideais musicais eram um pouco mais abrangentes”, lembra o músico. “Aceitei e depois formamos o Legião Urbana, eu o Bonfá e o Renato”, completa o curitibano, que ficou um ano na banda e tocou em quatro apresentações. “Acabei saindo justamente porque queria desenvolver outro tipo de guitarra na banda; e o Bonfá, principalmente, não curtia muito meu som”, conta.  Depois dessa temporada na estética punk, Lambach se sentiu ainda mais motivado e mergulhou na música, concluindo o curso de Música na Universidade de Brasília.  Participou de outras bandas de rock, mas se aprofundou mesmo em jazz, blues e MPB.

Lançou um disco, “Last Blues”, e gravou outro, “Mikrofonia”, com participação de Stanley Clarke, mas que não chegou ao mercado. Com o primeiro, foi indicado a melhor disco instrumental no prêmio Sharp, em 1999.  No início da década seguinte, mudou-se para o Rio de Janeiro onde, ao longo dos 13 anos seguintes, tocaria com artistas como Márcio Montarroyos, Arthur Maia, Jane Duboc, Belchior, Tunai entre outros.

Serviço

Kadu Lambach e banda – Pré-lançamento do cd “Kadu Lambach - O Legionário do Som”
Dia 24/05, sexta-feira às 22h
R$ 20 (venda antecipada no John Bull Café – R. com. Araújo, 489 (41) 3222-7408)
 
 
Fonte: Assessoria de Imprensa

Não sabe onde ir hoje?

Rua Trajano Reis, 443 Centro Histórico
Curitiba , PR

Restaurante Alberto Massuda

Alberto Massuda Nascido no Cairo, Egito, em 1925, Alberto Massuda veio com 33 anos para o Brasil e fixou residência em Curitiba. Em 1958 naturalizou-se brasileiro. Antes de sua chegada, cursou Belas Artes no Egito e...
(41) 3076-7202
Avaliação:
Seu voto foi 3. Total de votos: 6712