O resgate de um mestre

O resgate de um mestre

A CAIXA Cultural apresenta a exposição “Carlos Oswald – O Resgate de um Mestre”, uma retrospectiva com 70 das mais importantes obras de Oswald. A mostra, que tem curadoria assinada por Paulo Leonel Gomes Vergolino, abre no dia 17 de janeiro após a visita guiada com o curador às 18h30 e fica em cartaz até o dia 26 de fevereiro, com entrada franca.

“Carlos Oswald é, sem dúvida, um dos maiores expoentes da gravura artística brasileira. Na exposição, colhi trabalhos raríssimos, passando por todas as trajetórias do artista. Os temas mais recorrentes trazem representações religiosas, de paisagens, de figuras humanas e da vida animal”, explica o curador. Quem tiver a oportunidade de visitar a exposição vai perceber o traço firme do artista e notar o jogo de claro/escuro correto que ele imprimia em suas obras, marca que o acompanhou durante sua carreira.

Foi Oswald que a partir de 1913 se empenhou na divulgação, no Brasil, da gravura como expressão artística e não somente como meio de reprodução. Essa característica vai imprimir a ele e à sua forma de atuar um caráter moderno, seguido de perto por outros grandes gravadores como Oswaldo Goeldi (1895–1961), Raimundo Cela (1890-1954), Lívio Abramo (1903–1992) e Lasar Segall (1891-1957).

O artista

Nascido em Florença, na Itália, em 1882, Carlos Oswald foi registrado no Consulado Brasileiro e residiu no Brasil até o ano de 1971, quando faleceu no Rio de Janeiro. Tocado pelas propostas dos movimentos europeus que já viam há muitos anos a gravura como expressão artística, Carlos Oswald inaugurou a primeira oficina de gravura brasileira, no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Desde então, dedicou-se por quase 40 anos ao ensino e à difusão da gravura artística, sendo inclusive responsável pela primeira exposição de gravura realizada no Brasil, em 1919.

Entre seus alunos, que hoje fazem parte da moderna e premiada gravura artística brasileira, estão Poty Lazarotto (1924-1998), Hans Steiner (1910-1974), Darel Valença Lins (1924), Henrique Carlos Bicalho Oswald (1918-1965) e Orlando da Silva (1923).

Para Vergolino, Oswald estava à frente do seu tempo. “Ele criou obras de cunho impressionista de extrema beleza, além de ter contribuído para a evolução da arte brasileira. Pouca gente sabe, mas seu nome também está ligado à concepção do monumento máximo brasileiro, o Cristo Redentor. Foi de seu ateliê que saíram os croquis enviados a Paris e que possibilitaram a execução da obra pelo escultor francês de origem polonesa Paul Landowski”, finaliza.

Serviço

Exposição “Carlos Oswald – O Resgate de um Mestre”
Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba/PR
Visita Guiada: 17 de janeiro às 18h30 com o curador
Abertura: 17 de janeiro às 19h30
Visitação: de 18 de janeiro a 26 de fevereiro de 2011
Horário: De terça a quinta das 9h às 20h, sexta e sábado das 10h às 21h e domingo das 10h às 19h
Ingressos: Entrada Franca.
Informações: (41) 2118-5114
Classificação etária: Livre para todos os públicos
www.caixa.gov.br/caixacultural

Fonte: Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Curitiba

Não sabe onde ir hoje?

Rua Trajano Reis, 443 Centro Histórico
Curitiba , PR

Restaurante Alberto Massuda

Alberto Massuda Nascido no Cairo, Egito, em 1925, Alberto Massuda veio com 33 anos para o Brasil e fixou residência em Curitiba. Em 1958 naturalizou-se brasileiro. Antes de sua chegada, cursou Belas Artes no Egito e...
(41) 3076-7202
Avaliação:
Seu voto foi 2. Total de votos: 6982