Lançamentos do cinema curitibano

Lançamentos do cinema curitibano

A locomotiva do cinema curitibano está a todo vapor. O fato de a cidade abrigar algumas produtoras de áudio visual preocupadas, antes de tudo, em fazer cinema, tem contribuído para o crescimento das produções locais. São alguns apaixonados pela sétima arte que alimentam a caldeira dessa máquina, algumas vezes até sem incentivos governamentais, tudo para ajudar a difundir ainda mais as produções locais. Essa vontade de fazer cinema resultou no número de oito curtas, com previsão de lançamentos para esse primeiro semestre de 2012.

Por trás desses lançamentos estão três produtoras, duas delas recém incorporadas ao cenário de produções cinematográficas em Curitiba. São elas: Haver Filmes, de Aristeu Araújo e Denise Soares; O Quadro, uma iniciativa de cinco amigos que se conheceram durante o curso de cinema da FAP CineTVPR; e a Processo MultiArtes, já conhecida do público curitibano.

“Porque corro?” é um filme de Aristeu Araújo, criado originalmente para a categoria de tomada única do Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba - Curta 8. A ideia do roteiro surgiu da imagem de uma pessoa correndo. “É um filme muito plástico, que foge dessa padronização de imagem do cinema independente atual. O fato de ser filmado em super 8 e em preto e branco faz com que ele traga algumas coisas que a gente não está mais acostumado a ver, uma estética que salta aos olhos”, explica Aristeu. O filme foi ganhador nas categorias Tomada Única e Melhor Montagem durante o referido festival, mesmo concorrendo com filmes que foram montados posteriormente. "É um filme muito forte, tão forte que estou pensando em escrevê-lo em festivais de vídeo arte, considerando seu caráter experimental e seu diálogo com essa temática".

Outro curta que será lançado pela Haver Filmes se chama “Retrato Invisível", que tem direção de Denise Soares. A produção foi financiado pelo Fundo Municipal de Cultura destinado para iniciantes, e conta a estória de uma menina que cuida de seu avô que está em estado vegetativo. A trama se desenrola quando  uma amiga  aparece e leva a personagem principal a conviver com o mundo exterior, fora daquela rotina da qual ela estava acostumada. “O filme foi muito bem trabalhado, filmamos, se não me engano, a trigésima versão do roteiro. O processo de produção demorou cerca de dois anos”, comentou Aristeu, responsável pela montagem do filme. O curta está em fase de finalização e será lançado na Cinemateca de Curitiba, mas ainda sem data certa para o lançamento.

“Filmes de Verão” é o nome dado à trilogia de curtas independentes que será lançada no mês de maio pela produtora O Quadro. Os filmes foram feitos com recursos próprios e não possuem apoio financeiro de nenhuma empresa, como explica Wellington Sari, um dos sócios da produtora. “Queríamos fazer filmes que expressassem nossas temáticas, que são menos atraentes para os editais e mais atraentes para a gente mesmo. A única maneira de fazer algo desse tipo era de forma independente. Então reunimos nossos amigos de sempre e fizemos os filmes”

Filmados com uma equipe reduzida, os filmes tem uma temática voltada ao público jovem. “Somos jovens e tentamos passar as coisas que já vivemos e o que estamos vivendo. Sei lá, hoje eu faço filme para jovens, quando eu for velho vou querer fazer filmes para os velhos’’, argumenta Wellington.

Os três filmes são estórias de amor, segundo Wellington, “a única coisa que interessa”. “Sobrenatural” tem como roteirista Alexandre Rafael Garcia e conta a estória de um jovem torcedor que se apaixona por uma garota que também nutre o amor pelo mesmo clube. É a partir desse encontro que ele começa a se questionar se esse é o principal motivo de sua paixão. Já “Garota Explosiva” é um filme de Evandro Scorsin e conta a estória de um amor de verão. Um rapaz começa a sonhar com uma menininha que em determinado momento aparece na locadora em que ele trabalha. Fechando a trilogia o curta “Surf Surf”, dirigido por Wellington Sari, conta as aventuras de um rapaz que é apaixonado por uma menina que é apaixonada por um outro rapaz. No dia em que ela iria se declarar alguns acontecimentos a deixam mais perto do cara que a ama.

O recém filmado “Pequenos” não faz parte dessa trilogia de curtas da produtora O Quadro. O filme  é resultado de um edital lançado pela Cultura Inglesa, que todo ano promove um festival de cinema e premia três curtas voltados ao público infantil e adolescente. O filme tem como roteirista Alexandre Rafael Garcia e conta a estória de um grupo de crianças que vivem uma infância à moda antiga, mas também uma história de amor entre duas dessas crianças. Mesmo se tratando de um edital, o filme tem características da produtora O Quadro. “O bacana desse trabalho foi o fato de conseguirmos trazer essa nossa postura dos “Filmes de Verão”, de poucas pessoas no set de filmagens. Conseguimos tatear e achar uma maneira legal de trabalhar.” O curta será lançado no mês de maio em São Paulo, durante o festival de cinema da Cultura Inglesa.

Pra fechar a série de lançamentos, a Processos MultiArtes prepara os curtas a “Equação do Amor”, de Fabio Allon e “Seiva Bruta”, de Maurício Ramos Marques. Os filmes são resultado de um edital de incentivo à cultura, do qual a Processo foi contemplada no ano de 2008 e 2009. “’Equação do amor’ é um filme meio que água com açúcar, com crianças no colégio e uma história de amor. Já ‘Seiva Bruta’ tem um roteiro mais elaborado. É um filme com uma temática mais pesada, que tem na trama uma mãe que não se dá com sua filha por causa do seu fanatismo religioso”, comenta Fabio.

Diferente do outros filmes de Fabio Allon, tanto a “Equação de Amor” como “Seiva Bruta” seguem uma linearidade. “Esses filmes são diferente dos meus outros trabalhos. Nas minhas produções anteriores eu não me preocupava em contar uma estória. Meus filmes eram mais experimentais, com pouca narrativa, sem muitos diálogos, mais voltados para os estudantes de cinema. Já esses novos trabalhos são para o público em geral. Eu sentia essa necessidade de fazer um filme que minha mãe, meu pai e minha avó conseguissem compreender.”

A Processos prepara ainda o lançamento do seu longa metragem “Circular”, já lançado durante o Festival do Rio de Janeiro, mas que ainda não estreou por aqui. Essa é mais uma das atrações previstas para esse primeiro semestre que também não possui data marcada. A dica é ficar ligado para não perder nada.

Não sabe onde ir hoje?

Rua Trajano Reis, 443 Centro Histórico
Curitiba , PR

Restaurante Alberto Massuda

Alberto Massuda Nascido no Cairo, Egito, em 1925, Alberto Massuda veio com 33 anos para o Brasil e fixou residência em Curitiba. Em 1958 naturalizou-se brasileiro. Antes de sua chegada, cursou Belas Artes no Egito e...
(41) 3076-7202
Avaliação:
Seu voto foi 1. Total de votos: 6773