I Mostra de Documentários de Mulheres na Caixa Cultural

I Mostra de Documentários de Mulheres na Caixa Cultural

Identidade, relações amorosas, maternidade, narrativas familiares e inserção social são os temas centrais que irão conduzir o discurso em “Reflexos de Ana - I Mostra de Documentários de Mulheres”, de 07 a 10 de março na Caixa Cultural. Cada dia da mostra contará com a exibição de dois filmes e um bate-papo entre o público e duas pesquisadoras convidadas.

Com curadoria de Jessica Candal, realizadora do documentário “O Espelho de AnA" que estreou na Caixa Cultural no ano passado, a programação conta com filmes como “Our City Dreams”, de Chiara Clemente, “A Falta que me Faz”, de Marília Rocha e “The Marina Experiment”, de Marina Lutz.

Os debates contam com a presença de realizadoras como Carla Gallo, Jessica Candal e Marina Lutz e de pesquisadoras das artes plásticas, psicanálise, antropologia e filosofia. A aposta é no diálogo como uma forma de tecer conhecimento e assim contribuir para a dissolução do preconceito e promoção da igualdade e da justiça - ações fundamentais quando nos debruçamos sobre a condição feminina na atualidade.

O site da mostra (http://reflexosdeana.com/), além da programação, conta com um espaço para impressões e comentários do público.

Programação

07 de março (quarta-feira) – TEMA: IDENTIDADE
- 18h30 – “O Espelho de Ana”
- 19h35 - “Tarachime”
- 20h50 – Debate: Jessica Candal e Monja Cohen

08 de março (quinta-feira) – TEMA: RELAÇÕES AMOROSAS
- 18h – “Philys and Harold”
- 19h45 – “A falta que me faz”
- 21h10 – Debate: Miriam Adelman e Juliana Luz

09 de março (sexta-feira) – TEMA: MATERNIDADE
- 18h30 – “Meninas”
- 20h05 – “O aborto dos outros”
- 21h20 – Debate: Carla Gallo e Elisa Carvalho

10 de março (sábado)
TEMA: NARRATIVAS FAMILIARES
- 14h30 – “Desi”
- 16h20 – “The Marina Experiment”
- 16h45 – Debate: Marina Lutz e Elizabeth Moreschi
TEMA: INSERÇÃO SOCIAL
- 18h – “Síete Instantes”
- 19h50 – “Our City dreams”
- 21h15 – Debate: Helena Freddi e Xênia Melo

Sinopses

“O Espelho de Ana” (Jessica Candal - Brasil, 43´, 2011)
Dirigido por Jessica Candal, o documentário relata a investigação da diretora-personagem a respeito da sua condição enquanto mulher. Através do espelhamento em pessoas íntimas, como a avó, mãe, marido, amigas e a filha de uma delas, sua própria identidade é ao mesmo tempo forjada e revelada.

“Tarachime” (Naomi Kawase – Japão, 43´, 2006)
O documentário observa a “vida” através da experiência do nascimento de uma criança. Gerar uma vida nova significa dividir a nossa vida. O filme sublima para um estágio superior em que é possível testemunhar o nó amarrando uma vida com outra.

“Philys and Harold” (Cindy Kleine - E.U.A, 85´, 2008)
Baseando-se em uma vida inteira de filmes e entrevistas caseiras de sua família e feitas ao longo de 12 anos, a cineasta Cindy Kleine mistura reportagem, cinema verité e animação para descobrir segredos de família e contar uma história que não poderia ser exibida publicamente enquanto seu pai estava vivo: um casamento desastroso de 59 anos.

“A falta que me faz” (Marília Rocha - Brasil, 85´, 2009)
Durante um inverno, rodeadas pela Serra do Espinhaço, um grupo de meninas vive o fim da juventude. Um romantismo impossível deixa marcas em seus corpos e na paisagem a seu redor. Em meio a conversas, obrigações e prazeres cotidianos, cada uma delas encontra uma maneira particular de contornar a solidão e enfrentar as incertezas de um futuro próximo.

“Meninas” (Sandra Werneck - Brasil, 72´, 2006)
No dia em que completa 13 anos, Evelin descobre que está grávida de seu namorado, um rapaz de 22 anos que acaba de se desligar do tráfico de drogas para o qual trabalhava na Rocinha, Rio de Janeiro, onde vivem. A gravidez não a impede de continuar sendo a garota de sempre.

“The Marina Experiment” (Marina Lutz - E.U.A, 18´, 2009)
Após a morte de seu pai, Marina Lutz começou a separar e catalogar mais de 10.000 fotografias, filmes Super 8 caseiros e rolos de fitas de áudio. Enquanto a evidência se monta nos arquivos, ela descobre uma infância definida pelo voyeurismo agressivamente obsessivo de seu pai e cumplicidade passiva de sua mãe. Usando as imagens que uma vez se reuniram para humilhá-la, Marina vira a mesa para criar um documento arrepiante de abuso psicológico e sobrevivência rompida e ao mesmo tempo, servir como um lembrete de que muitas contusões são profundas, invisível, mas não menos prejudiciais.

“O aborto dos outros” (Carla Gallo - Brasil, 73´, 2008)
O Aborto dos Outros é um filme sobre maternidade, afetividade, intolerância e solidão. A narrativa percorre situações de abortos realizados em hospitais públicos – previstos em lei ou autorizados judicialmente – e situações de abortos clandestinos. O filme mostra os efeitos perversos da crimininalizção para as mulheres e aponta para a necessidade de revisão lei brasileira.

“Desi” (Maria Augusta Ramos - Holanda, 90′,  2000)
Desi é uma menina de 11 anos como outra qualquer. Ela vai para a escola todos os dias, ouve os CDs da moda, fofoca com as amiguinhas e briga com os meninos na hora do recreio. Mas quando o sinal anuncia o final da aula e todas as outras crianças vão para casa com os pais, ela senta na rua em frente à escola, tira o seu celular da mochila e telefona para o pai, que, como sempre, se esqueceu de aparecer. A mãe de Desi se suicidou quando ela tinha 18 meses. O filme é uma história de sobrevivência: de como uma criança se adapta ao meio familiar e social em que vive.

“Our City dreams” (Chiara Clemente - E.U.A, 85´, 2008)
Filmado ao longo de dois anos, “Our City Dreams” é um convite para visitar os espaços criativos de cinco mulheres artistas, cada um dos quais possui sua própria energia, direção e paixão. Estas mulheres, que se estendem por diferentes décadas e representam diversas culturas, têm uma coisa em comum além de fazer arte: a cidade para qual viajaram e agora chamam de lar – Nova York.

“Síete Instantes” (Diana Cardozo - México, 90´, 2008)
Síete Instantes é a história de mulheres que foram guerrilheiras no Uruguay no inicio dos anos 70. A partir de um enfoque intimista o filme gira em torno dos momentos de decisão e das encruzilhadas pessoais com o acúmulo de decisões éticas e emocionais que envolvem. O documentário busca a experiência e olhar de indivíduos comuns em situações expecionais e aprofunda a carga de tensões, medos e contradições próprios desses instantes de “entrega” da História.

Serviço

“Reflexos de Ana – I Mostra de Documentários de Mulheres”
De 07 a 10 de março de 2012
R$ 5 e R$ 2,50 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)
Caixa Cultural
Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
(41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira, das 12h às 20h, sábado, das 16h às 20h e domingo, das 16h às 19h).
Classificação etária: Não recomendado para menores de 16 anos
Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Curitiba

Não sabe onde ir hoje?

Rua Mateus Leme, 2204 Bom Retiro
Curitiba , PR

John Bull Pub

O John Bull Pub foi inspirado nos pubs londrinos e tornou-se referência em rock'n'roll ao vivo em Curitiba. A casa possui três ambientes: parte central onde está o palco, com camarotes; jardim de inverno e porão para um...
(41) 3252-0706
Avaliação:
Total de votos: 4769