Camerata Antiqua celebra o 320º aniversário de Curitiba

Camerata Antiqua celebra o 320º aniversário de Curitiba

Os acordes da obra de Johann Sebastian Bach (1685 – 1750), executados pela Camerata Antiqua, homenageiam Curitiba no mês em que a cidade completa 320 anos. O concerto que leva ao público a Missa em Si Menor BWV 232, sob a regência do maestro mineiro Luís Otávio Santos, marca também a abertura da temporada 2013 de espetáculos do grupo curitibano, patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo.

As apresentações, na Capela Santa Maria Espaço Cultural, acontecem nos dias 22 de março (sexta-feira), às 20h, e 23 de março (sábado), às 18h30. Neste ano, a Camerata acrescenta às suas performances breves palestras de especialistas, numa iniciativa para disseminar a produção de grandes compositores. O convidado para a primeira edição dessa proposta é o maestro Osvaldo Colarusso, que tem atuado frente às principais orquestras do país, acumulando a regência de mais de 500 concertos. A palestra antecede as apresentações e, no dia 22, começa às 19h15, sendo que no dia 23 tem início às 17h45.

“A excelência do trabalho da Camerata Antiqua de Curitiba é referenciada com a série de palestras, que até o final do ano reunirá comentaristas para abordar obras de autores consagrados, abrindo ao público novas janelas para a apreciação musical”, destaca o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli.

Em 2013, a Camerata Antiqua, formada por Coro e Orquestra, mantém a tradição de executar obras monumentais nos eventos que marcam a cultura ocidental, tendo como convidados regentes nacionais e estrangeiros. Embora fiel às suas origens, dedicando-se à produção barroca, o grupo amplia o repertório, incorporando composições de autores de outras épocas, além de realizar apresentações com representantes de diferentes linguagens musicais.

Um exemplo dessa postura é o espetáculo que a Orquestra de Câmara de Curitiba – parte instrumental da Camerata – apresenta no mês de novembro, atuando junto com o Uakti. O grupo mineiro desenvolve um trabalho inédito, construindo seus próprios instrumentos a partir de materiais inusitados como vidro, metais, pedras, borracha e até água, deles tirando sons inimagináveis. Todas as composições e arranjos do programa são de autoria do Uakti, criados especialmente para orquestra de cordas.

Outra novidade na programação da Camerata Antiqua é a “Série Ritornello”, dedicada àqueles que construíram uma carreira musical erudita em Curitiba e hoje integram importantes instituições em outros países. O virtuosismo do grupo curitibano extrapola fronteiras e permite turnês como a do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, que representará o Brasil na Bienal de Coros em Aachen (Alemanha), no mês de junho.

Concerto de aniversário

“A Missa em Si Menor BWV 232, concebida numa escala monumental, é um dos picos mais altos do gênio humano. Numa entrevista que tive com Villa-Lobos, ele disse emocionado que realizou a execução dessa obra com seus professores no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, mas o fez de joelhos!”, revela nas notas do programa o maestro emérito da Camerata, Roberto de Regina.

A Missa é farta em drama e simbolismo e muito se tem discutido sobre como Bach, devoto protestante, escreveu uma missa católica. Entretanto, como lembra Roberto de Regina, “desde a Reforma, missas latinas eram normalmente escritas por músicos protestantes e o ordinário da missa era usado na Igreja Evangélica Alemã. Apenas o dogma romano era repudiado”.

O cuidado da Camerata às nuanças da interpretação da música antiga ganha a regência segura de Luís Otávio Santos, que contará, ainda, com cantores convidados para o espetáculo. Sobem ao palco nomes que são expressões da música erudita e desenvolvem carreiras internacionais: as sopranos paranaenses Marilia Vargas e Luciana Melamed, o contratenor mineiro Pedro Couri Neto, o tenor catarinense Marcos Liesenberg e o barítono austríaco Norbert Steidl.

O regente

Luís Otávio Santos é formado em violino barroco pelo Koninklijk Conservatorium Den Haag (Holanda). Nos 15 anos em que morou na Europa, o músico atuou em destacados grupos, sendo spalla e solista, desde 1992, da renomada orquestra barroca belga “La Petite Bande”, dirigida por Sigiswald Kuijken. Com a orquestra tem realizado turnês por toda Europa, China, Japão, México, Argentina, Colômbia e Chile, além de gravar dezenas de CDs e programas de televisão para as televisões belga, francesa e japonesa.

O músico ainda liderou outros conjuntos europeus, entre eles “Ricercar Consort” (direção de Philippe Pierlot), “Le Concert Français” (direção de Pierre Hantai), “Nederlandse Bachverening” (direção de Gustav Leonhardt) e “Den Haag Baroque Orchestra”. Foi professor de violino barroco na “Scuola di Musica di Fiesole”, em Florença (Itália), de 1997 a 2001, e no “Conservatoire Royal de Musique de Bruxelles”, de 1998 a 2005.

Na sua discografia solo destacam-se a integral das Sonatas de Johann Sebastian Bach, ao lado do cravista Peter-Jan Belder, para o selo holandês Brilliant; As Quatro Estações de Vivaldi com La Petite Bande, pelo selo belga Accent; e as Sonatas para violino de J. M. Leclair, para o selo alemão Ramée, gravação que recebeu o prêmio “Diapason d´Or”, a maior distinção francesa concedida a um registro fonográfico.

Luís Otávio Santos integra o conselho artístico da Camerata Antiqua de Curitiba, além de responder pela direção artística do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora (MG), que tem mais de 20 anos de história. Nesse evento é também regente da Orquestra Barroca do Festival, que já gravou nove CDs e um DVD com obras brasileiras e europeias, em registros inéditos no Brasil.

Em 2007, Luís Otávio Santos foi agraciado com o título de Comendador da Ordem do Mérito Cultural, concedido pelo Governo Federal e o Ministério da Cultura por seu envolvimento com a cultura nacional e reconhecimento à carreira internacional. Também é fundador e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP – Escola de Música do Estado de São Paulo, no qual ministra aulas de violino barroco desde 2008.

Serviço

Aniversário de 320 anos de Curitiba
Apresentações da Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos, na abertura da temporada 2013 de concertos, patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo. No programa está a Missa em Si Menor BWV 232, escrita por Johann Sebastian Bach (1685 – 1750).
22 de março (sexta-feira) – palestra do maestro Osvaldo Colarusso às 19h15 e concerto às 20h
23 de março de 2013 (sábado) – palestra do maestro Osvaldo Colarusso às 17h45 e concerto às 18h30.
R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)
Capela Santa Maria 
 
 
Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Não sabe onde ir hoje?

Praça Generoso Marques Centro
Curitiba , PR

Paço da Liberdade

Construído no início do século XX e após ter sido a sede do gabinete de 42 prefeitos e do Museu Paranaense, o prédio da antiga Prefeitura de Curitiba foi restaurado pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac e passa a abrigar a...
(41) 3234-4200
Avaliação:
Total de votos: 4136