A Volta do Boêmio no Paiol

A Volta do Boêmio no Paiol

Um sarau familiar, com música de qualidade, que tem como convidados alguns dos melhores instrumentistas de Curitiba. Essa é em resumo a proposta do show de lançamento do disco, A Volta do Boêmio, de Seu Valdemar que acontece somente nesta sexta-feira, dia 19, no Teatro Paiol.

No palco o cantor e violonista baiano, “Seu” Valdemar, estará acompanhado por seus dois filhos Vadeco (violão, guitarra) e Vina Lacerda (percussão), além de Jorge Falcón (guitarra), Glauco Sölter (baixo) e Sérgio Justen (teclados). O repertório inclui sucessos como “A Noite de Meu Bem” (Dolores Duran), “Naquela Mesa” (Sergio Bittencourt), “Assum Preto” (Luiz Gonzaga), a faixa título “A Volta do Boêmio (Adelino Moreira), entre outros clássicos do cancioneiro popular.

O diretor musical, produtor e arranjador do disco, Vadeco, comenta que esse disco é a concretização de um sonho familiar que começa há muitos anos nas rodas de seresta que ele ouvia em casa. “Esse disco é de certa forma a trilha sonora da minha infância”, resume. Seu irmão, Vina Lacerda, que também participou da produção além de gravar toda a base percussiva e a bateria, conta que o repertório foi escolhido pelo pai mas... “acredito que a dona Neuza - minha mãe - botou uma pressão para que alguns ‘hits’ de seu amado intérprete não ficassem de fora”.

Seu Valdemar explica melhor. Em primeiro lugar ele também faz questão de ressaltar a alegria que está sendo partilhar com seus filhos a produção e o lançamento do disco. “É um sonho. Um disco que vai ficar para gerações futuras, pois gravamos músicas que marcaram época e que ainda vai continuar por muito tempo”. O cantor lembra que a primeira seleção tinha 50 músicas que reduziram até chegar a 13. “Nós descartamos algumas pelo valor do direito autoral – que não se encaixava com nossa disponibilidade – e depois trabalhamos vários gêneros musicais, com arranjos diferenciados para o disco não ficar cansativo”.

O resultado foi o melhor possível. Vadeco explica que ele e o pai se entenderam perfeitamente na hora dos “arranjos diferenciados”. “Eu mostrei para ele que a tradição permanece em cada faixa. Eu não mexi com a essência dos clássicos, ela está lá, mas, em alguns casos, com uma roupagem diferente, não necessariamente moderna”. O disco faz um percurso eclético por vários gêneros musicais: do xote ao samba, da canção de amor ao embalo da jovem guarda. “Apesar do título, o disco não é só de boêmia”, completa Seu Valdemar.

Representante titular daquelas “velhas tardes de domingo” (como na música de Roberto Carlos), Seu Valdemar formou, nas décadas de 60 e 70, o trio Ases da Juventude, ao lado de um irmão e de um amigo. Chegou a participar de saraus dançantes e até de festivais, mas nunca se profissionalizou. Hoje, 40 anos depois, o músico reencontra o palco – já que nunca deixou de tocar e cantar – ao lado dos filhos: Vadeco e Vina, dois músicos profissionais que seguiram sua filosofia de vida: “O importante é ter saúde, alegria e prazer nas coisas que faz”.

Vina Lacerda confessa que foi um privilégio poder criar e trabalhar em família. “Posso dizer que gravar o disco do pai é algo mais que especial”. Vadeco concorda e fica ainda mais orgulhoso por conta de ver o pai gravando uma música sua, “Meu Sábia”, ao lado do neto (seu filho) Francisco. E Seu Valdemar concorda com os dois filhos e diz que o relacionamento durante as gravações foi bem tranqüilo - mas faz uma ressalva: “Teve uma música, Tocando em Frente, do Almir Satter que senti uma dificuldade maior para cantar. Quando chegou nessa aí, meu filho falou: ‘agora todos aqueles puxões de orelha que eu levei você vai me pagar’. Fui para casa estudei de noite e no dia seguinte gravei a música de primeira”, finaliza sorrindo.

Serviço

A Volta do Boêmio - Show de lançamento do CD com o músico Seu Valdemar.
Dia 19/04, sexta às 20h30
R$ 15 e R$ 7,50 (meia entrada)

Fonte: RB – Escritório de Comunicação

Não sabe onde ir hoje?

Rua Trajano Reis, 443 Centro Histórico
Curitiba , PR

Restaurante Alberto Massuda

Alberto Massuda Nascido no Cairo, Egito, em 1925, Alberto Massuda veio com 33 anos para o Brasil e fixou residência em Curitiba. Em 1958 naturalizou-se brasileiro. Antes de sua chegada, cursou Belas Artes no Egito e...
(41) 3076-7202
Avaliação:
Total de votos: 6032