A cidade transposta na memória

A cidade transposta na memória

Em uma sala de exposição no Sesc Água Verde neste momento a mão do artista percorre a parede em movimentos circulares. A cola é espalhada e as serigrafias vão formando um mural de “lambes”, com momentos das ruas de Curitiba. A exposição “Fatias da Memória” está em fase de preparação pelo artista Fernando Rosembaum e será inaugurada nesta quarta feira dentro do projeto “Olhar Paraná”.

O artista explicou ao CuritibaCultura que as serigrafias “são como um facsímile da superfície da cidade. Alguns lugares que elegi, fotografei frontalmente e tratei esta imagem no computador, realçando algumas coisas e apagando outras, e deixando em uma escala natural. Produzi uma tiragem de cinquenta cópias para cada gravura, em diversos tamanhos e em policromismo, quatro cores. Utilizei uma técnica especial de separação de cor em retículas estocásticas, junto com a retícula ordenada, que também é utilizada pela publicidade”.

Deste trabalho resultou uma série de treze gravuras, que tiveram como destino o local que deu origem às fotos, fazendo uma transposição dos trabalhos. O público poderá conferir os locais escolhidos pelo artista por meio de um mapa com marcações especificando-os, que estará disponível na exposição. Rosembaum também disse ter usado fotos antigas dos locais que escolheu, com o objetivo de traçar um paralelo com o antes, o agora e o depois. “É uma alternativa de reconstrução da história. Eu penso na ideia da memória coletiva, de que ela é feita de pequenos fragmentos: cada um lembra um pouco da coisa e isso que faz a memória coletiva acontecer”.

Todas as etapas da produção foram fotografadas por Rosembaum, “quando eu retirei, depois que foi raspado o local e como eu reinseri”. Está não é a primeira instalação feita a partir da série “Transposição”. O trabalho foi exposto pela primeira vez em abril de 2008, por meio do edital Bolsa Produção, da Fundação Cultural de Curitiba, também esteve em Ponta Grossa e agora, por meio do projeto "Olhar Paraná" promovido pelo Sesc Paraná, será exposto em Curitba, Cascavel, Pato Branco e Foz do Iguaçu.

A surpresa na “Fatias da Memória” será uma sobreposição de ideias preparada pelo artista. Pela primeira vez ele fará confluir este trabalho com “A bolha”, um inflavel feito com papel de seda ou plástico fundido. Esta obra participou da Bienal de Curitiba, quando foi apresentada durante os meses do evento em locais públicos da cidade.

A ocupação do espaço do Sesc Água Verde também contará com duas ações paralelas: a primeira será educacional e voltada às crianças, na qual Rosembaum irá ministrar oficinas de reapropriação criativa de materiais recicláveis. A outra ação será uma palestra ministrada por Rosembaum, que irá abordar questões presentes em seu trabalho, como o espaço urbano e a reapropriação.

Serviço

Exposição “Fatias da Memória”
Abertura dia 01/02 às 19:00
Visitação de 1 fevereiro a 30 de março
Sesc Água Verde
Avenida República Argentica, 994 - Água Verde.
(41) 3342-7577

Não sabe onde ir hoje?

Rua Trajano Reis, 443 Centro Histórico
Curitiba , PR

Restaurante Alberto Massuda

Alberto Massuda Nascido no Cairo, Egito, em 1925, Alberto Massuda veio com 33 anos para o Brasil e fixou residência em Curitiba. Em 1958 naturalizou-se brasileiro. Antes de sua chegada, cursou Belas Artes no Egito e...
(41) 3076-7202
Avaliação:
Seu voto foi 2. Total de votos: 6982