Exposição Espaços Transitivos

Exposição Espaços Transitivos

O Sesc Paço da Liberdade apresenta a exposição Espaços Transitivos com os artistas Bruno Oliveira, Deborah Bruel, Eliane Prolik, Giovanna Lima e Juliana Gisi. A exposição propõe ao visitante uma reflexão sobre os fluxos da cidade nas práticas artísticas, a partir do deslocamento de relações e espaços cotidianos em diferentes linguagens, como poesias, instalações, intervenções, fotografias e objetos.

Espaços transitivos

Marcadas pela sensação de descentramento que contamina a vida contemporânea, as obras presentes nessa exposição investem na relação com o cotidiano e privilegiam proposições que remetem tanto ao espaço concreto da cidade, quanto a um espaço alusivo. O habitual e o corriqueiro figuram como elementos essenciais na fruição artística e transitam entre as questões formais da arte e as especificidades da urbe. Essas associações evidenciam analogias que se constroem como novas configurações, tendo como ponto de partida relações fronteiriças que lidam com deslocamentos e permutas de um sistema artístico cada vez mais fundado em perspectivas móveis. Talvez ainda exista um lugar da arte, mas que lugar é esse?

A partir desse questionamento, propõe-se uma reflexão sobre os limites físicos e conceituais dos lugares da arte, não só através da simples incorporação de elementos usuais ao espaço expositivo, mas do urbano deslocado de seu lugar primário e ressignificado esteticamente. Um exercício que lança luz sobre o vigente e confere um repensar sobre relações triviais, sugerindo novas interações e apropriações. Deste modo, mesmo desvinculado de uma conceituação artística a priori, o espaço urbano, ao ser tomado como parte, intensifica esse debate. Entretanto, além de pensá-lo apenas como um recurso, é necessário uma reflexão sobre como este meio estimula ações de construção e desconstrução, e expõe os conflitos ou as aproximações entre urbe e arte.

É no embate entre naturezas tão distintas que se cria um sistema de retroalimentação, repleto de intervalos, um todo não unitário que se contamina e se revela mutuamente, seja na cidade, que “impõe ganhar tempo (...) reter apenas a informação útil no momento”, ou na arte, que propõe “retardar o fluxo, criando um espaço vazio no qual outra coisa pode se instalar”  . Entre-lugares que inauguram valores e práticas, oferecendo ao sujeito uma fruição desvinculada de correspondências tradicionais. Nesse processo não há mais o limite da referência, mas o urbano transformado em arte.

Destes espaços diluídos surgem infinitas possibilidades, onde fluxos ininterruptos perpassam as estruturas rígidas urbanas e artísticas tornando-se agenciadores de processos. O provisório, a impermanência e o vazio são assimilados e dão origem a formas cada vez mais densas e complexas, o que pode ser observado em cada obra desta exposição. Estes trabalhos propõem indagações que transitam entre o lugar da arte e da urbe, seja enquanto ambiente de partilha e convívio ou como questão estética; uma reflexão que busca perguntas sem uma solução objetiva, colocando-se como um problema em aberto.

Serviço

Exposição Espaços Transitivos
Período: 25/11/2016 a 15/02/2017
Local: Espaço das Artes
Gratuito

#CompartilhePaço

Não sabe onde ir hoje?

Rua Treze de Maio, 629 Largo da Ordem
Curitiba , PR

Teatro Lala Schneider

O Teatro Lala Schneider  é conhecido por seus espetáculos sempre lotados e também pelo curso de artes cênicas, que já revelou grandes nomes da cena nacional. O local é de iniciativa privada e foi fundado em 1994 pelo...
(41) 3232-4499
Avaliação:
Seu voto foi 5. Total de votos: 3003