Mais que Cimples desenhos

Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos
Mais que Cimples desenhos

Antes fosse simples falar sobre o trabalho do Cimples. Para quem conhece um pouco sobre arte urbana em Curitiba, falar demais pode até estragar, já que a marca dos seus graffiti estão nas ruas há mais de uma década. Como ele mesmo me disse, começou a fazer graffiti quando a cidade ainda estava começando a esboçar os trabalhos em seus muros, em 1994.

Nestes anos já trabalhou como diretor de arte e diagramador da revista Vista SkateBoardsart (Porto Alegre, 2004 - 2007), lançou sua própria marca de roupas, a Dest, publicou o livro 100COTIDIANO com o paulista Alex Hornest, criou alguns zines (como o Destrói, que terá a 12ª edição este ano), participou de diversas exposições (individuais e coletivas), começou a gradução em Escultura na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, mas em nenhum momento parou de pintar ou desenhar.

Os desenhos apresentados nesta Exposição Digital foram feitos em 2010, que segundo Cimples foi um dos anos que mais atuou com graffiti. Marcam um momento em que começava a fazer esboços de suas pinturas em papel, antes de realizá-las no espaço público. Porém, a menos que vá até Porto Alegre, não verá nenhuma delas nos muros de Curitiba. Apenas a com a frase “QUAL É A FÓRMULA MÁGICA”  foi para o muro, em uma visita a capital rio grandense para lançamento da revista Destrói.

Em um bate-papo, Cimples me disse que a sua intenção é que cada desenho tenha sua própria história, seu diálogo individual, como uma narrativa. Para isso, leva em consideração conceitos de histórias em quadrinhos e também os significados das formas em cada uma das letras.

No momento, Cimples falou que está desenhando bastante, mas sem nenhum compromisso com métodos ou estudos. Apenas desenhos orgânicos, não tão iconográficos quantos as placas feitas a partir de conceitos de sinalização na cidade e lambrequins, como vinha fazendo em 2011. Também está preparando dois livros para este ano. Um deles é um livro de ficção, projeto pessoal que começou ano passado. O segundo é o projeto, em fase de execução, de um livro sobre a história do graffiti em Curitiba, que contará com participação das principais autoridades na área. Este último foi aprovado no edital de Mecenato da Fundação Cultural de Curitiba e está em fase de captação de recursos.

Link da página pessoal de Valério Ciqueira - o Cimples:

www.lixocontinuo.com/

(Para ver as imagens ampliadas é só clicar nelas)

Não sabe onde ir hoje?

Praça Generoso Marques Centro
Curitiba , PR

Paço da Liberdade

Construído no início do século XX e após ter sido a sede do gabinete de 42 prefeitos e do Museu Paranaense, o prédio da antiga Prefeitura de Curitiba foi restaurado pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac e passa a abrigar a...
(41) 3234-4200
Avaliação:
Seu voto foi 1. Total de votos: 2198