A crueza de um homem só

Lá no baixo São Francisco as coisas se dão sem muito alarde... É prestando atenção durante a caminhada que se notam as novidades. A caminho d’O Torto, pela Paula Gomes, olhando à direita, uma substituição: Sai a Toca do Marujo e entra o Dom Corleone.

O Dom Corleone é um bar que se "escondia lá no Alto da Glória" - palavras de um cliente que estava no balcão - e que já investia nas bandas autorais curitibanas. A mudança, ao que tudo indica, foi uma ótima opção, considerando a visibilidade, o público e o fortalecimento do circuito que ali se encontra. Agora são doze estabelecimentos que compõem o cenário noturno das Ruas Paula Gomes, Trajano Reis e Inácio Lustosa.

Na última quarta feira, dia das crianças, fui ao recém reinagurado bar para prestigiar O Lendário Chucrobilly Man, um dos destaques da música curitibana. A opinião não é só minha, vem apoiada por todos que já assistiram o show da banda de um homem só abençoada pela MTV, que selecionou o músico na categoria “Aposta” do Vídeo Music Brasil deste ano.

Formado por Klaus Koti nos vocais, viola, cigar box guitar, bateria, corneta e enxada, o show da última quarta foi uma das melhores tosqueras que já vi e ouvi nessa cidade. O palco era o próprio chão e por isso estava invadido pelas pessoas que lá se encontravam, dançando ou não o estilo da galinha – ave que inspirou a estética do "Chicken Album", agora disponível em vinil 10 polegadas.

A viola de dez cordas é totalmente envenenada pelo rock and roll, marcada por um timbre muito diferente de qualquer outra. O bumbo e a caixa são tocados com o pé (pedaleiras), o chimbau também, mas com a diferença que rolam violadas nos pratos e intervenções dos mais chegados. As músicas são um misto de blues, rock, punk rock, música caipira... só ouvindo para entender. O que importa é que a ideia do som é muito percussiva, faz querer dançar como um frango destroncado.

Quanto à tosquera: a definição é da própria lenda. É dessa tosquera que sinto falta muitas vezes, dessa sensação de que aquela apresentação foi construída naquele lugar e pela espontaneidade daquelas pessoas... a repetição nunca acontecerá. O caos e as imperfeições resultam em algo instigante, primitivo.

Não sei se os rituais ao Exú das One Man Bands é recorrente, mas posso dizer que a composição feita na cadeia – a banda foi presa durante excursão pela Europa por irregularidades no passaporte – tocada à base de golpes de enxada numa pedra e entoada por todos os presentes foi um momento para não se esquecer. A tosquera pode fazer bem, principalmente quando é apenas utilizada para ressaltar a naturalidade e a criatividade de um músico que sem dúvidas não atira suas canções a esmo.

Não sabe onde ir hoje?

Rua Treze de Maio, 629 Largo da Ordem
Curitiba , PR

Teatro Lala Schneider

O Teatro Lala Schneider  é conhecido por seus espetáculos sempre lotados e também pelo curso de artes cênicas, que já revelou grandes nomes da cena nacional. O local é de iniciativa privada e foi fundado em 1994 pelo...
(41) 3232-4499
Avaliação:
Seu voto foi 5. Total de votos: 5225